Os melhores tipos de cordas para os profissionais que trabalham em altura são as elásticas, estáticas e Kermantle.

Trabalhar em atividades que precisam ser executadas em alturas superiores a dois metros não é uma tarefa fácil. Isso porque o risco de que o colaborador se envolva em acidentes é grande, e as situações de perigo podem ser variadas.

Para reduzir os riscos no trabalho em altura, é fundamental que profissionais que atuam em altura estejam devidamente equipados com materiais de segurança. Além dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para trabalho em altura, é essencial que os profissionais contem com cordas, um material que precisa ser resistente e ter sido desenvolvido especificamente para atividades dessa categoria.

Existem diversos modelos de corda para trabalho em altura, e é fundamental utilizar o tipo adequado para a atividade:

Tipos de corda para trabalho em altura

Cordas elásticas

Muito utilizada por escaladores, a corda elástica consegue suportar uma carga laboral em até 10% de elasticidade. A maioria das cordas elásticas é feita com várias fibras de nylon, pois o material é resistente e bem flexível. Se o ponto de ancoragem se encontra abaixo do trabalhador, esse tipo de corda para trabalho em altura é o mais recomendado.

Cordas estáticas

Este tipo de corda para trabalho em altura também possui boa elasticidade, mas em um nível menor do que uma corda elástica. As cordas estáticas garantem uma boa segurança para transportar cargas a grandes alturas, por exemplo, sendo muito usadas em ambientes industriais — já que, para locomover uma carga pesada a uma altura considerável, é necessária uma corda que suporte o peso e não se rompa.

Corda de Kermantle

É um tipo de corda muito resistente, revestida por várias camadas de nylon, mas que também pode receber fibras de poliéster. Caso seja de poliéster, a sua capa também é feita desse material com estrutura trançada. Embora o poliéster não consiga se esticar tão bem quanto o nylon, suporta uma carga ainda mais pesada, garantindo a segurança nas alturas de profissionais que trabalham como bombeiros e engenheiros eletricistas.

Fonte: tuiuti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *