O cinto de segurança com talabarte auxilia o eletricista em sua locomoção e em sua estabilidade.

Os eletricistas são profissionais responsáveis pela implementação e manutenção de instalações elétricas residenciais e industriais, atuando no gerenciamento de fios, cabos, iluminação e demais componentes elétricos de todo tipo. Trata-se de um trabalho que deve ser executado somente por um profissional devidamente qualificado e legalmente habilitado para a função.

Uma vez que o trabalho de eletricista exige que ele esteja diretamente em contato com altas tensões elétricas, é essencial que este profissional utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) que garantem sua segurança por meio da proteção contra choques elétricos e incêndios.

Caso o eletricista tenha que realizar instalações ou manutenções em alturas superiores a dois metros (em cima de postes ou no topo de prédios, por exemplo), a atividade é caracterizada como trabalho em altura. Neste caso, o profissional também precisa utilizar um cinto de segurança com talabarte.

Cinto de segurança com talabarte: o que é e qual a importância

O cinto de segurança com talabarte é um dispositivo que serve de conexão entre o cinto tipo paraquedista e um ponto de ancoragem, sendo indicado para trabalhos em altura. Existem dois modelos de talabarte: o de proteção contra quedas e o de posicionamento. De acordo com a Norma Regulamentadora de número 18 (NR 18), que trata das condições de segurança na construção, o primeiro deve obrigatoriamente apresentar formato de Y.

O talabarte de proteção contra quedas permite que o eletricista se locomova de um ponto de ancoragem a outro, sendo utilizado como um absorvedor de energia que realiza a desaceleração do corpo em caso de queda. Ele ainda ajuda na estabilidade do trabalhador, permitindo que ele fique com as mãos livres para a realização da atividade.

O talabarte de posicionamento, por sua vez, posiciona o profissional em determinado local, mantendo-o fixo durante a execução do trabalho. Este modelo não permite a movimentação do usuário. Vale destacar que, independentemente do modelo de talabarte utilizado, o dispositivo sempre deve ser fornecido pela empresa contratante e estar em perfeito estado, de modo a evitar a ocorrência de acidentes.

 

Fonte: http://www.epi-tuiuti.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *