Neste 8 de Março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Quality Safety gostaria de chamar a uma reflexão sobre o papel da mulher no mercado de trabalho.

Depois de crescer nos últimos anos e de se estabilizar mais recentemente, a participação das mulheres nos postos de trabalho com carteira assinada ainda enfrenta dificuldades, algumas delas oriundas de discriminação.

De acordo com o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, mesmo com o crescimento do emprego formal as mulheres têm uma participação relativa menor que a do homem, apesar de serem maioria na sociedade.

“Inserida no mercado de trabalho, a mulher tem salários que chegam a ser de 25% a 30% menores do que o do homem. Há discriminações, como por conta de gravidez, que ela não tem tanta assiduidade, com maior propensão a faltar, ou seja, muito preconceito da sociedade, que não dá à mulher a proteção devida”, afirma Clemente em recente entrevista à Rádio Brasil Atual.

Ainda segundo o diretor técnico, as mulheres têm prioridade em alguns empregos, porém, são aqueles com piores condições de trabalho, com remunerações baixas e sem carteira assinada. “Elas têm ocupações que são prioritariamente voltadas a elas, como o emprego doméstico, pois 90% das pessoas neste setor são do sexo feminino”.

No mercado de Segurança de Trabalho, a atuação feminina cresce a cada ano. Nas salas dos cursos de técnico em segurança do trabalho, a participação das mulheres gira em torno de 50%.

Neste setor, as mulheres não estão livres de preconceito. Algumas empresas dão preferências a homens, sobretudo construtoras, pois elas teriam que lidar com trabalhadores da construção civil e isso poderia gerar algum constrangimento. Este tipo de atitude corrobora com a cultura machista que produz o estereótipo do pedreiro que assedia mulheres na rua.

Por outro lado, algumas construtoras orientam e até punem seus funcionários que cometem assédio, seja com outras funcionárias ou outras mulheres. O caminho deve ser este para que possamos combater o preconceito e o constrangimento das mulheres neste setor.

Neste dia, comemorado por todo o planeta, gostaríamos de levar a uma reflexão. A mulher que estuda, trabalha e se qualifica merece as mesmas oportunidades que os homens. Com as leis trabalhistas, que protege tanto o funcionário, quanto a empresa no caso de gravidez, não há motivos para a discriminação.

Parabéns a todas as mulheres por este dia de celebração aos direitos iguais!

Fonte: fechado com a segurança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *