Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) são os principais responsáveis por garantir a biossegurança na estética.

O trabalho realizado por profissionais de estética pode parecer inofensivo à primeira vista. Porém, assim como acontece em qualquer outra profissão, essa é uma área que oferece determinados riscos para os trabalhadores. Por isso, o cuidado com a biossegurança é essencial para quem atua neste setor.

O conceito de biossegurança na estética se refere à prevenção de doenças neste ambiente de trabalho, de modo a minimizar os riscos e promover a saúde dos colaboradores e clientes. Trata-se de um cuidado de extrema importância, especialmente no Brasil, já que o País abriga o terceiro maior mercado de beleza do mundo, com tendência a crescer ainda mais nos próximos anos.

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) são os principais dispositivos responsáveis por garantir a segurança dos profissionais de estética. Entenda a diferença entre esses dois tipos de equipamento a seguir:

Qual a diferença entre EPC e EPI?

Como o próprio nome indica, os equipamentos de proteção coletiva são aqueles que garantem a segurança e bem-estar de todos os presentes no ambiente. Muitas vezes, podem ser dispositivos individuais, mas compartilhados pelo grupo, tais como chuveiros de segurança ou kit de primeiros-socorros.

Os EPIs, por sua vez, são todos os dispositivos ou produtos utilizados individualmente pelo trabalhador, com o intuito de protege-lo contra possíveis riscos à sua saúde ou minimizar as consequências de um acidente ou incidente de trabalho. Apesar da diferença entre esses dois tipos de dispositivo, ambos são igualmente importantes para garantir a biossegurança na estética e em diversos outros ambientes de trabalho.

Principais equipamentos de proteção coletiva na estética

Exaustor

Mesmo que o profissional de estética tome todos os cuidados necessários ao lidar com produtos químicos utilizados para fazer alisamentos, tratamentos e coloração, muitos deles são potencialmente tóxicos e suas partículas podem se espalhar rapidamente pelo ar.

Para que não haja contaminações ou reações alérgicas nos olhos, pele e sistema respiratório, o exaustor é essencial. Trata-se de um dispositivo que se encarrega de fazer com que a troca do ar interno com o externo seja mais eficiente, reduzindo as chances de que o ar acumule partículas de substâncias químicas prejudiciais.

Kit de primeiro-socorros

Acidentes podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer momento, e ter isso em mente é parte fundamental da biossegurança na área da estética — que pode registrar ocorrências como cortes, intoxicações, entre outras. Por isso, o kit de primeiros-socorros deve estar sempre à mão, destacando-se como um dos equipamentos de proteção coletiva que permite não apenas resolver situações de pouca gravidade, como garante a prestação de auxílio até a chegada de socorro em casos mais graves.

Extintor

A biossegurança na estética também passa pela capacidade de resposta a possíveis incêndios, independentemente da causa pela qual eles tenham ocorrido. Como incêndios costumam ter um impacto devastador, o extintor de incêndio é um dos mais importantes equipamentos de proteção coletiva na estética e nas demais áreas de atuação profissional existentes.

Fonte:https: Tuiuti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *