As principais itens analisados para verificar se o trabalhador é o verdadeiro culpado do acidente são: dificuldades mentais, desobediência, falta de instrução e comprometimento físico.

Acidentes podem acontecer a qualquer momento e em todos os tipos de ambiente, o que inclui o espaço de trabalho. Os principais causadores dessas ocorrências vão desde problemas com materiais, falhas em mecanismos específicos e até mesmo causas naturais.

Além disso, os acidentes de trabalho podem estar relacionados a falhas humanas, classificadas como fator pessoal de insegurança. Determinado como a causa mais próxima relacionada ao comportamento humano, e o trabalhador é considerado culpado pelo transtorno, devendo então responder pelo ocorrido.

Características do fator pessoal de insegurança

Determinar se um colaborador é realmente o culpado pelo acidente é algo que requer uma análise bem específica. Por isso, alguns critérios são observados na hora de determinar se o indivíduo realmente teve influência no ocorrido. São eles:

Dificuldades mentais

São momentos em que o trabalhador se vê conturbado com o excesso de determinada emoção durante o trabalho. Estresse, nervosismo, ansiedade, raiva, processamento lento ou retardado podem ser alguns dos motivos.

Desobediência

Consiste no parcial ou total descumprimento de normas e regras estabelecidas pela corporação e que não são seguidas pelo colaborador.

Comprometimento físico

Se o trabalhador possui alguma limitação física ou é praticante de algum hábito nocivo à saúde, o fator pessoal de insegurança é caracterizado pela inaptidão em realizar determinada tarefa.

Falta de instrução

De modo secundário, o trabalhador pode ser o causador do acidente por não saber como proceder numa determinada atividade ou desconhecer os riscos que o serviço pode oferecer.

Consequências do fator pessoal de insegurança

Dependendo da causa que o trabalhador foi acusado, a empresa poderá tomar medidas cabíveis para solucionar a fonte do problema. Casos de saúde e de motivação no trabalho costumam ser considerados os mais difíceis de solucionar, uma vez que as circunstâncias que levaram ao acidente são mais específicas e nem todas as medidas gerais poderão ser cabíveis.

Porém, se os fatores pessoais não prevalecerem, alguns procedimentos que se tornam necessários para solucionar o acidente e também servir como prevenção são:

Treinamentos

Seja para manuseio de maquinário, uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) ou relacionamento interpessoal, os treinamentos facilitam que a empresa perceba quais trabalhadores são mais propensos com fatores pessoais de insegurança do que outros.

Avaliação de candidatos

Serve tanto para contratação de funcionários como para remanejamento dentro dos setores. Ao avaliar criteriosamente cada colaborador, é possível ver com nitidez quem pode desempenhar uma função com um fator pessoal de insegurança mínimo.

Delineamento de detalhes administrativos

Está muito relacionado à falta de informações dos trabalhadores. Ao informar de forma detalhada e minuciosa todas as noções operacionais, os colaboradores se sentirão mais seguros para exercer suas atividades com o maior cuidado e atenção.

Fonte: tuiuti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *